• Ana Paula Brasil

Reflexões de Quarenta [02]

Atualizado: 13 de Out de 2020


Vejam a foto: parece que estou tocando um espelho, 
mas só estou tocando a mim mesma.

Nesta quarentena toda, estou quieta do lado de dentro; habitando este corpo como verdadeiro lar. Nem presa; nem entediada, estou aqui vendo tudo mudar de lugar. Às vezes, abro a janela da sala de prática, medito olhando o céu, sentindo o sol ou o ar fresco no rosto. Procuro toda a natureza que meus olhos podem alcançar da janela. Depois, fecho os olhos para ver a natureza se manifestar. Eu lembro que a natureza, sobretudo a que costuma nos oferecer o ar, já estava me fazendo falta desde antes. Sabia que já não estava nos meus planos respirar fundo do alto do 6° andar. Mas, quando nestas manhãs, busco o céu, desviando meus olhos da cidade, vejo que por mais bonita que seja, não há cidade que faça sentido na quarentena. Nenhuma cidade foi construída para nos deixar quietos, em silêncio, a respirar. Da janela, vejo flores, árvores, pedras... Será que elas, como eu, também se sentem fora do lugar? Não. É sempre sim a resposta da natureza. Pode ela, viva ou morta, estar contente em seu lugar. Então, que lugar é este em que entramos? O que são estes dias de quarentena? Serão dias para esperar a vida que tínhamos continuar? Não acho que a vida esteja sentada de quarentena, por três, quatro, cinco semanas. Agora, de onde estou insistentemente olhando para dentro, deixo... Que tudo escorra, que tudo se vá como uma lágrima, como um sim, como a própria vida - dona do caminho; única em seu lugar! ♡ #yoga #yogalifestyle #bhaktiyoga #cronicascotidianas #yogartlife  #cronicasdequarentena #reflexãodequarentena