Buscar
  • Ana Paula Brasil

Atualizado: 13 de Out de 2020


"A metáfora da cebola diz que a gente tem que se descascar; camada por camada. - Como posso ser eu antes de saber quem sou?"

7 visualizações0 comentário
  • Ana Paula Brasil

Atualizado: 13 de Out de 2020


Tenho ouvido muito "cada dia é um dia na quarentena" e: - Sim! Cada dia é sempre um dia na quarentena ou não! Hoje, tirei uma folga da minha rotina diária matinal e tudo aconteceu sem planejar... Durante um bom tempo, todas as manhãs, acordava 2 ou 3 horas antes de sair de casa para simplesmente não fazer nada. Recentemente, passei a ocupar este tempo com coisas também desprodutivas sob um olhar materialista. Hoje, acordei no mesmo horário, mas troquei a hora da leitura por um café preto em silêncio; a prática pessoal de Yoga por uma horinha de movimentos corporais aleatórios; a primeira sessão de meditação por um café da manhã acompanhada e uns minutinhos de sofá. Esta era a manhã que precisava hoje e que, inesperadamente, interrompeu meu ritual diário após tantos dias de quarentena.


Eu não sou muito disciplinada, de fora pode até parecer, mas tudo que faço ordenadamente nesta vida é por puro amor! E, agora, já comemoro não temer a perda da ordem, da força, do equilíbrio. O antigo medo de não ser quem eu gostaria já não é capaz de me tirar a possibilidade de viver qualquer coisa plenamente! É uma observação diária e possível se olharmos nossas rotinas e disciplinas com respeito e desapego. Respeitar, ter amor pelas nossas escolhas é construtivo, apego não. É preciso ser feliz com tudo o que se é e tudo que se tem da mesma forma que é preciso ser feliz não sendo ou não tendo nada ou, pelo menos, tendo apenas o essencial para sentir a vida acontecer!


Isto significa para mim "um dia de cada vez" ou simplesmente "uma eu de cada vez", porque sei que na verdade sou eu mesma tudo que conheço como dia ou como tempo.

Então, é viver-se um dia depois do outro; seguir fazendo o que é bom e o que é o bem! A vida não é aquilo que segue o planejamento; a vida é aquilo que se transforma à beira do equívoco. A vida é o infinito que se pode observar através de si mesmo!



#yoga #reflexões #yogalifestyle  #reflexõesdavida #cronicadequarentena #cronicascotidianas


2 visualizações0 comentário
  • Ana Paula Brasil

Atualizado: 13 de Out de 2020


Se você me perguntar se eu tenho esperança, eu lhe responderei: sim, eu aprendi a esperar! A esperança, para mim, é arte de esperar com alegria. Esperar com alegria é um exercício de presença, de consciência de si mesmo, de percepção da real natureza da vida. A nossa vida é uma breve espera, digo breve, por que se pararmos para pensar em anos, dura pouco e passa rápido. Quantos anos tem uma vida humana? 80, 90 anos? Às vezes, nem se chega lá. Mesmo assim, estamos ansiosos para a próxima tarefa, para o dia de amanhã, para o início das férias, para o final do livro, para o comer mais um pedaço, para seguir em frente, para dar um outro passo... Você já se perguntou profundamente para onde você está indo? Esta pergunta não é sobre objetivo, não é sobre encontrar o tal do propósito de vida, não é sobre realizar sonhos. Esta pergunta não pretende te levar a nenhum lugar. Ela pretende justamente te fazer permanecer aqui e agora.


A vida é um breve esperar. Você sabe? A gente dorme esperando acordar no dia seguinte. Aliás, gente espera acordar e seguir a nossa agenda. A gente espera que algo seja divertido. A gente se prepara para resolver uma situação. A gente espera que o dia acabe bem. Todo o nosso tempo é recortado pelo projeto que temos para a nossa vida. Na "Hora H", ela será como a gente espera ou não. Afinal, a vida também nos surpreende. Quase tudo vai acontecendo como a gente espera e, de repente, uma exceção. Tem exceção que é agradável, tem exceção que definitivamente não é. Mas, eu te pergunto, o que seria da vida se não fosse seu efeito surpresa? A gente nasce sabendo que ela vai acabar, para valer a experiência, ela tem mesmo que caprichar muito no caminho. Neste ponto, algo que precisamos nos lembrar é que esta vida que está "do lado de fora" depende da criatividade da vida que está dentro de você. Em outras palavras, a sua vida depende de você para acontecer do jeito que você quer que ela aconteça. E, mais uma vez, este querer não é sobre ter força de vontade para construir coisas ou para ganhar o jogo, é sobre ter boa vontade para atravessar o caminho. Diante disto, podemos viver com esperança.


A esperança é fruto da nossa boa vontade com a vida, da nossa receptividade para o que vamos encontrar. Ter esperança não é necessariamente desejar que nossos planos sejam atendidos, que as coisas dêem certo, mas cultivar entusiasmo para receber qualquer coisa que a vida nos ofereça. A esperança pode permear com alegria uma vida inteira: ao invés de tentar determinar como as coisas devem acontecer no futuro, simplesmente espere-o chegar e escolha como agir a partir dele. Se você tivesse a certeza de que tudo que a vida lhe apresenta agora é o melhor para o seu crescimento, como você esperaria o próximo minuto? Certamente, como uma criança que recebe da mãe a sua comida predileta: com muito entusiasmo! Talvez, também a vida espere isto de nós. No mais, não tenho dúvidas de como a espera alonga o tempo. Faz a gente vê o dia inteirinho passar. Esperar com alegria é uma maneira de viver mais!


1 visualização0 comentário